Your Nav Bar Here

26.5.12

Ler e não ter a vergonha de ser feliz.

 Sim, eu mudei a letra da música, mas só porque ler e viver são quase que a mesma coisa para alguém como eu. E olha que nem sempre fui o tipo de garota que ia até a biblioteca da escola, por livre espontânea vontade, para escolher um livro. Confesso que fazem apenas cinco anos que despertei esse amor por eles e que também, depois disso, a tia responsável pelos livros na biblioteca relatou alguns desaparecimentos. 

E quem nunca roubou um livro da biblioteca da escola não sabe o que é viver perigosamente! Eu juro que pretendia devolver, mas o carinho por eles foi maior então eu assumo esse crime. Me prendam! 

Hoje em dia, me considero uma pessoa que entra em uma livraria e passa horas checando as prateleiras atrás do livro perfeito. Acho que sou capaz até de entrar em livrarias apenas pelo prazer de abraçar livros, mesmo sem a intensão de comprar. Acreditem, eu sou capaz de pagar esse mico.

Então, deixando de lado essa minha mania estranha e cafona, quero compartilhar com vocês um textinho muito fofo de Rosemary Urquico que descobri. Ele se chama "Date a girl who reads."  Que na tradução seria: Namore uma garota que lê.


  

Namore uma garota que gasta seu dinheiro em livros, em vez de roupas. Ela também tem problemas com o espaço do armário, mas é só porque tem livros demais. Namore uma garota que tem uma lista de livros que quer ler e que possui seu cartão de biblioteca desde os doze anos.
Encontre uma garota que lê. Você sabe que ela lê porque ela sempre vai ter um livro não lido na bolsa. Ela é aquela que olha amorosamente para as prateleiras da livraria, a única que surta (ainda que em silêncio) quando encontra o livro que quer. Você está vendo uma garota estranha cheirar as páginas de um livro antigo em um sebo? Essa é a leitora. Nunca resiste a cheirar as páginas, especialmente quando ficaram amarelas.
Ela é a garota que lê enquanto espera em um Café na rua. Se você espiar sua xícara, verá que a espuma do leite ainda flutua por sobre a bebida, porque ela está absorta. Perdida em um mundo criado pelo autor. Sente-se. Se quiser ela pode vê-lo de relance, porque a maior parte das garotas que leem não gostam de ser interrompidas. Pergunte se ela está gostando do livro.
Compre para ela outra xícara de café.
Diga o que realmente pensa sobre o Murakami. Descubra se ela foi além do primeiro capítulo da Irmandade. Entenda que, se ela diz que compreendeu o Ulisses de James Joyce, é só para parecer inteligente. Pergunte se ela gosta ou gostaria de ser a Alice.



É fácil namorar uma garota que lê. Ofereça livros no aniversário dela, no Natal e em comemorações de namoro. Ofereça o dom das palavras na poesia, na música. Ofereça Neruda, Sexton Pound, cummings. Deixe que ela saiba que você entende que as palavras são amor. Entenda que ela sabe a diferença entre os livros e a realidade mas, juro por Deus, ela vai tentar fazer com que a vida se pareça um pouco como seu livro favorito. E se ela conseguir não será por sua causa.
É que ela tem que arriscar, de alguma forma.
Minta. Se ela compreender sintaxe, vai perceber a sua necessidade de mentir. Por trás das palavras existem outras coisas: motivação, valor, nuance, diálogo. E isto nunca será o fim do mundo.
Trate de desiludi-la. Porque uma garota que lê sabe que o fracasso leva sempre ao clímax. Essas  garotas sabem que todas as coisas chegam ao fim. E que sempre se pode escrever uma continuação. E que você pode começar outra vez e de novo, e continuar a ser o herói. E que na vida é preciso haver um vilão ou dois.
Por que ter medo de tudo o que você não é? As garotas que leem sabem que as pessoas, tal como as personagens, evoluem. Exceto as da série Crepúsculo.
Se você encontrar uma garota que leia, é melhor mantê-la por perto. Quando encontrá-la acordada às duas da manhã, chorando e apertando um livro contra o peito, prepare uma xícara de chá e abrace-a. Você pode perdê-la por um par de horas, mas ela sempre vai voltar para você. E falará como se as personagens do livro fossem reais – até  porque, durante algum tempo, são mesmo.
Você tem de se declarar a ela em um balão de ar quente. Ou durante um show de rock. Ou, casualmente, na próxima vez que ela estiver doente. Ou pelo Skype.
Você vai sorrir tanto que acabará por se perguntar por que é que o seu coração ainda não explodiu e espalhou sangue por todo o peito. Vocês escreverão a história das suas vidas, terão crianças com nomes estranhos e gostos mais estranhos ainda. Ela vai apresentar os seus filhos ao Gato do Chapéu [Cat in the Hat] e a Aslam, talvez no mesmo dia. Vão atravessar juntos os invernos de suas velhices, e ela recitará Keats, num sussurro, enquanto você sacode a neve das botas.
Namore uma garota que lê porque você merece. Merece uma garota que  pode te dar a vida mais colorida que você puder imaginar. Se você só puder oferecer-lhe  monotonia, horas requentadas e propostas meia-boca, então estará melhor sozinho. Mas se quiser o mundo, e outros mundos além, namore uma garota que lê.
Ou, melhor ainda, namore uma garota que escreve. 


Encontrei o textinho aqui. E a tradução e adaptação é de Gabriela Ventura


12 comentários:

  1. Adorei... sou novo aqui, conheço seu blog ainda hoje através do grupo "Blogueiros" no Facebook, e quando entrei já me senti em casa. Amei a postagem, tudo o que disse, os ricos detalhes, brilho nos sentimentos e... é isso, já me tornei seguidor e sempre venho visitar. Parabéns moça!

    http://viaspensantes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rodrigo!
      Fico contente em saber que ganhei mais um leitor. Hihihi.
      Sinta-se sempre a vontade para voltar. ^^

      Obrigada pelas palavras.

      Excluir
  2. Que bonito tudo aqui, menina Yasmin! As cores, as formas, as palavras. Tudo belo, sincero. Eu já roubei um livro da biblioteca da escola, confesso. HAHHAHAHAHAHA Mas... Foi um bom ''crime''. E na verdade nem foi com intenção. Peguei o livro e a biblioteca ficou em reforma, esqueci completamente de devolver depois e não cobraram, então... Hahahaha.
    Esse texto é lindo, não é? Já o li várias vezes e não me canso. Adorei tudo aqui e voltarei mais vezes. Visite meu cantinho também, invada meu mundo literário e deixe seu comentário.
    Eu volto, viu? Um beijo, @pequenatiss.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah menina Thais acho que quase todo mundo cometeu esse crime. Uns eu peguei e outros esqueci de devolver. Hahaha. Me prendam se isso for algo ruim. xD
      Fico contente que tenha gostado do meu cantinho e é super bem vinda sempre que quiser voltar. ^^

      Um beijo, moça. ♥

      Excluir
  3. Vamos nos casar e morar em uma livraria ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos fugir, Menina Sabrina! HAHAHAH. ♥

      Excluir
  4. Olha quem apareceu. Acho que sumi dessa galaxia. Confesso que me senti namorável depois de suas palavras. Derá eu sempre ter estudado em uma escola com biblioteca, cabe á mim rouba-la da biblioteca municipal do meu bairro. É puro amor, não se sinta mal por isso, faz bem até.

    Vou procurar voltar, vou procurar te ler através de suas doces palavras. Beijocas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apareci, moçaaaa! *-*
      Adoro seus comentários e muito obrigada pela presença, viu. *-*

      É amor demais. Tenho até hoje alguns que peguei na biblioteca do colégio e não me arrependo. HAHAH

      Excluir
  5. O "Namore uma garota que lê" é, certamente, o texto mais bonito e sincero e real que já encontrei na internet. Amo e me identifico super, assim como me identifiquei com esse seu trecho:

    "E quem nunca roubou um livro da biblioteca da escola não sabe o que é viver perigosamente! Eu juro que pretendia devolver, mas o carinho por eles foi maior então eu assumo esse crime. Me prendam!"

    Fazia muito isso no Ensino Fundamental, no médio não dava... hahaha. Mas apesar de ser feio, por levar a palavra roubo, acho poético. E até bonito. :)

    Gostei do seu blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu super me identifiquei com ele e é certamente um dos mais lindos que eu já li. hihi.
      Obrigada pela presença, menina Fran.

      Sinta-se bem vinda sempre que quiser voltar.

      Excluir
  6. Yasmin, ameeeei teu post, menina. Não conhecia esse texto, e é foda. *-*

    ResponderExcluir
  7. Eu amo esse texto! ahaha. Ele é muito bom. E eu também pagaria o mico - que não creio ser um mico - de abraçar um livro. Sem falar no cheiro maravilhoso que eles exalam... enfim...

    E esse nome do blog é lindo. A Menina Que Roubava Livros é o que mais amei até agora... ahahaha

    ResponderExcluir